Brazilian Journal of Anesthesiology
https://bjan-sba.org/article/doi/10.1016/j.bjane.2020.04.009
Brazilian Journal of Anesthesiology
Case Report

Ultrasound-guided multiple peripheral nerve blocks, a way out for anaesthesia in morbidly obese patients for bone marrow aspiration

Múltiplos bloqueios de nervos periféricos guiados por ultrasom, uma saída para anestesia em pacientes com obesidade mórbida para aspiração de medula óssea

Saloni Shah, Shraddha MathKar

Downloads: 0
Views: 47

Abstract

Morbid obesity is associated with various pathophysiological changes which affect the outcome of anaesthesia and surgery. So it's challenging to give anaesthesia to such patients. We present a 59-year-old adult morbidly obese, hypertensive, diabetic female with hypothyroidism operated for proximal humerus fracture and now presented with non-union of fracture, requiring percutaneous injection of bone marrow aspirate from the iliac crest to the site of non-union. The patient was extremely anxious and refused to undergo the procedure under local anaesthesia or sedation and demanded anaesthesia. Given her comorbidities general anaesthesia (GA) was avoided and the procedure was accomplished using Ultrasound (USG) guided Transversus abdominis plane (TAP) block and Lateral Femoral Cutaneous Nerve (LFCN) block for the bone marrow aspirate from the iliac crest and Intercostobrachial nerve block (T2) was given to prevent pain while injecting the aspirate into the non-union site. Dexmedetomidine and ketamine were given for deep level sedation and analgesia. TAP block and LFCN block is generally used for post-op analgesia but can be also used for surgical anaesthesia instead of General anaesthesia in specific scenarios. Its perioperative application and its potential use instead of GA have been discussed.

Keywords

Regional anaesthesia,  Morbidly obese,  Transversus abdominis plane block

Resumo

A obesidade mórbida se associa a várias alterações fisiopatológicas que afetam o desfecho da anestesia e cirurgia. É, portanto um desafio anestesiar tais pacientes. Apresentamos uma mulher adulta de 59 anos, obesa mórbida, hipertensa, diabética com hipotiroidismo, submetida à cirurgia devido a fratura proximal do úmero e que compareceu ao serviço com fratura não consolidada, e com indicação de injeção percutânea de aspirado de medula óssea da crista ilíaca na fratura não consolidada. A paciente estava extremamente ansiosa e recusou o procedimento sob anestesia local ou sedação e exigiu anestesia. Em função de suas comorbidades, Anestesia Geral (AG) foi evitada e o procedimento foi realizado usando bloqueio do Plano Transverso Abdominal (PTA) guiado por Ultrasonografia (USG) e bloqueio do Nervo Cutâneo Femoral Lateral (NCFL) para aspiração de medula óssea da crista ilíaca. O bloqueio do nervo Intercostobraqueal (T2) foi realizado para evitar dor durante a injeção do aspirado. Dexmedetomidina e ketamina foram dadas para sedação profunda e analgesia. O Bloqueio PTA e bloqueio NCFL geralmente são usados para analgesia pós-operatória, mas também podem ser usados para anestesia cirúrgica substituindo a anestesia geral em condições clínicas específicas. O emprego desses bloqueios no perioperatório e seu uso potencial no lugar de AG têm sido discutidos.

Palavras-chave

Anestesia regional,  Obesidade mórbida,  Bloqueio do plano transverso abdominal
5eb165970e8825616dd76ee1 rba Articles
Links & Downloads

Rev. Bras. Anestesiol.

Share this page
Page Sections